No próximo ano, o investimento global em publicidade deverá ascender aos 589 mil milhões de euros.

A previsão é da WARC, que aponta para um crescimento de 6% e para uma evolução positiva nos gastos em todos as categorias de produto.

Para este ano, o aumento previsto ronda os 2,5%. Ainda assim, o crescimento antecipado para 2020 fica abaixo do recorde de 7,3% verificado em 2018.

Serviços Financeiros (+11,8%), Lar (+10,5%), Transporte & Turismo (+9%), Telecomunicações & Utilities (+8,5%), Tecnologia & Electrónica (+8,4%), Bebidas Alcoólicas (+6,9%), Automóvel (+6,8%) e Refrigerantes (+6,5%) são as categorias que mais deverão crescer. A Internet, por seu turno, será o meio em destaque em todos os sectores, excepto Tecnologia & Electrónca. Neste caso, OOH (publicidade exterior) será a que mais crescerá (+11,4%).

A nível global, os formatos online serão responsáveis por mais de metade do investimento em publicidade, pela primeira vez. Os gastos deverão rondar os 302 mil milhões de euros, sendo que os principais impulsionadores serão performance marketing, vídeo online e redes sociais.

A WARC adianta ainda que Facebook, Google e YouTube mantêm o posto de principais destinos do investimento online. No ano passado, o Facebook e a Alphabet (que detém Google e YouTube) responderam por dois terços do investimento publicitário online e a WARC espera que cheguem a três quartos em 2020. A Amazon ainda é pequena – quando comparada com as outras duas empresas –, mas também começa a ganhar terreno.

A quota de investimento publicitário global da Alphabet (detentora da Google) deverá ser de 23,1% em 2020. O Facebook deverá chegar aos 12,9% e a Amazon aos 2,5%. Segundo a WARC, o papel destes três gigantes é crucial: o investimento para lá delas tem-se mostrado estagnado desde 2012.

Fontes: WARC e Marketeer