Não sendo o único evento de tecnologia da Europa, é sem dúvida uma das feiras mais importantes da área, principalmente para quem está ligado às start-ups e ao empreendedorismo em todo o mundo. A Web Summit realizou-se, este ano, pela primeira vez em Lisboa, depois de 7 edições em Dublin.

Qual será então a importância deste tipo de eventos para o nosso país?

web-summit-decoded-dublin-dublinglobe-com

Não se trata apenas de substituir as constantes notícias sobre a trágica vitória de Trump e a entrega do resistente fugitivo de Aguiar da Beira, que marcam as manchetes dos jornais diários e os destaques nos jornais da noite pela cobertura incessante de eventos desta grandeza. Foram mais de 50 mil pessoas, de 166 países, que estiveram na capital do nosso país para assistir ao Web Summit, muitas delas permaneceram na cidade e certamente gastaram (muito) dinheiro, não só em refeições, estadia, turismo e lembranças, mas também em investimentos nas start-ups nacionais e abrindo portas para a mobilização de filiais para o nosso país. Afinal quem é que é capaz de nos visitar e não se apaixonar? Na mesma semana, a poucos quilómetros de distância, decorreu o Forum Alpha na Lx Factory, considerado um dos maiores eventos de empreendedorismo e inovação realizados em Portugal, este ano com o tema da indústria do calçado, sector com importância indubitável para a economia do nosso país. O cruzamento de datas não será mera coincidência, certamente.

Todas as iniciativas desta natureza são bem-vindas e beneficiam o nosso país não só economicamente, mas também em termos de notoriedade, reputação e posicionamento.

Somos um país pequeno em dimensão, mas enorme em capacidade de inovação e empreendedorismo jovem. Estes eventos permitem alavancar a troca de contactos, ideias e transmitir para o mundo as nossas capacidades. Não existe publicidade paga que permita tal retorno. É importante lembrar que o governo investiu cerca de 1,3 milhões no Web Summit e espera um retorno de 200 milhões. Para atingirmos esse retorno, que no meu entender só será visível a médio/longo prazo – entre dois e três anos, teremos que ser capazes de lidar e tirar vantagens nas diversas áreas que são atingidas por estes fluxos.

A Web Summit vai repetir-se em Lisboa pelo menos por mais dois anos. A vinda do evento fundado por Paddy Cosgrave para a capital portuguesa dá credibilidade ao ecossistema de empreendedores e amantes das tecnologias. Esperemos que outras iniciativas se juntem à Web Summit e ao Forum Alpha e escolham Portugal para as acolher.

artigo de opinião web summit João valente

0 Comments
Join the conversation

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Deixe uma resposta